quarta-feira, novembro 04, 2009

Simplificando a Paz...

Ainda não existe um manual para desarmarmos as farpas que criamos para nós mesmos....

De uns tempos para cá, tenho me perguntado se para ter uma vida mais simples é necessário ser paciente...

É fato, e isso eu sempre soube, que a impaciência nunca simplifica nada para ninguém, só complica e nos faz gastar muita energia. Além de desviar nossa atenção do que realmente interessa, entre outras coisas que deixam a nossa saúde debilitada.

Promover a paz interior é simples, e promover a irritação agride demais o nosso organismo [pelo menos o meu].

Então a vida seria mais pacífica se não nos irritássemos com tanta frequencia, se não houvesse tanta gente criando problemas, se não existissem todos esses carros nas ruas, tantos compromissos inadiáveis, tantos projetos, tantos prazos, tantas contas, tantos recados, tantas tarefas? Não, não seria mesmo.

A saída para me manter saudável, não é fugir daquele estímulo externo que me deixa irritada, mas eliminar a predisposição de ficar irritada. Nenhum problema, por maior que seja, justifica atropelar todo mundo com a força de um trator - mas tem gente que age assim como se fosse a atitude mais acertada do mundo. Se fosse assim mesmo, por que é que em alguns momentos, a gente tem a sensação de que "a cabeça está cheia", e de que basta uma gota para transbordar? Ora, ora... Porque falta espaço.

Usuários de computador sabem que quando há pouco espaço na memória, a máquina fica lenta, trava [mas nós quem ficamos impacientes]. É por isso que se recomenda-se apagar arquivos inúteis que estejam ocupando espaço na máquina. A mesma coisa acontece com nosso lixo interior, que presente nas nossas cabeças, perturba nossa paz de espírito. É necessário se desapegar do zum-zum-zum de pensamentos inúteis. Como? Alguém sabe a fórmula?

Acho que não vou mais brigar por causa de vagas de estacionamento ou por causa do vizinho que insiste em martelar a parede de madrugada. Não porque tenha me convencido de que isso é uma bobagem [eu já sabia que era bobagem quando briguei]. O que posso conseguir agora é eliminar a impaciência antes que ela se instale e viver em paz comigo mesma.

2 comentários:

Wolf34 disse...

Acho que esse tema da impaciência interior que cada um de nós carregamos nunca vai sair da pauta de qualquer conversa, debate, ou mesmo livros sobre o assunto. Hoje me considero um cara calmo, e com mais paciência antes de estourar, mas nem perto do ideal que gostaria de ser. Ainda tenho a impaciência e a angústia caminhando juntas, e aprontando de vez em quando. Mas quando a impaciência não é comigo, e sim com pessoas queridas, tento de tudo para abrandar toda a confusão que possa vir a surgir. Nessas horas prefiro aquela retirada estratégica, e tento não bater de frente, isso sempre piora tudo. Nada pior do que um mal entendido por um motivo sem importância, e que pode ser evitado simplesmente respirando fundo. Gostei de verdade dessas tuas palavras.

Um Beijão Enorme!!!

Labelle® Paz disse...

Pois é.... Quem me conhece sabe o quanto me coloquei inteira nesse texto.... Você foi muito observador! Bingo!