segunda-feira, janeiro 14, 2008

Coisa da Idade...

Só pode ser...

Porque se fosse há pelo menos uns dez anos atrás, eu já teria resolvido sem olhar para trás ou pesar os pós e contras. Era mais impulsiva. Não pensava muito no que tinha para vir. Só queria saber do presente e da melhor forma de aproveitá-lo. Mudei.

Com meus vinte anos, o imediatismo me perseguia. Se alguma coisa me perturbava, no instante de um segundo, eu resolvia [claro que nem sempre da melhor forma, mas resolvia].

Hoje, penso, repenso, penso de novo e continuo pensando milhões de vezes até ter a segurança de que não estou me precipitando, ou agindo impulsivamente.

Ok, prometi a mim mesma que não faria tantos questionamentos com a freqüência que eu fiz no ano passado, mas essas duas primeiras semanas me deixaram com cara de boba. Continuo nessa crise de não querer jogar pro alto coisas que nem valem tanto à pena assim, com aquela intenção de fazer a melhor coisa pensando no futuro [e esquecendo do presente], e deixando as oportunidades passarem porque fiquei na dúvida.

Quanta besteira!

Passei o dia ansiosíssima por causa de uma reunião que agendei para pedir o desligamento [finalmente] do meu trabalho e me dedicar APENAS à consultoria de beleza personalizada. Estou empolgada, e isso me deixa mais segura por instantes.

Quero voltar a escrever aqui diariamente [ou pelo menos com mais freqüência do que tenho escrito]. Acho que conseguirei daqui para frente, e colocarei todas as novidades, crises, e afins em dia.

5 comentários:

Eu penso que... disse...

Que bom que vai escrever mais por aqui.
Vou ficar aguardando.
Bj!

disse...

Linda!
Acho que a vida nos ensina com o tempo a nos tornarmos mais serenos.
Fico vindo aqui pra ver seus escritos sempre e estou feliz por você se dedicar mais aqui.
Tu sabe que sou sua fã!
Beijão!!!

Antonio Da Vida disse...

voltei à leitura, depois de um longo sumiço... pudera, se vc acompanha o meu blog, vai ver que a minha vida deu uma degringolada ultimamente... mas tudo bem... mas é engraçado que o que vc escreveu aqui, eu poderia ter assinado embaixo. Eu vivo na dúvida cruel, se estou pensando demais antes de agir, ou se estou agindo por impulso, e acabo sempre nesta angústia, sem saber se o que fiz ou deixei de fazer é certo ou errado, se ainda dá para esperar a manhã de sol depois da noite longa de chuva ou se é melhor mesmo mudar de ares... nunca me decido, e tenho a triste conclusão no final, que a vida acaba decidindo por mim.

Labelle® disse...

Antônio,
Eu também estive meio ausente, no meio de um turbilhão de coisas acontecendo, e para completar, você mudou o link do blog e eu fiquei sem conseguir acessar.
Agora, voltando ao meu normal, colocarei a leitura do seu blog em dia e dos blogs amigos para poder comentar e me manter ativa como antes.
Se cuida, por mais indeciso ou impulsivo, tenho certeza de que no final das contas as coisas se acertam! Pelo menos aqui, se acertam e eu sou indecisa e/ou impulsiva de carteirinha.

May disse...

Ai, que diliça!

Quem me dera eu morasse aí para ter a caixinha de maquiagem socada de apetrechos e consultoria personalizada, uiiiiiiiiiiiiiiiia!

Xêro.