quarta-feira, junho 30, 2010

Semancol...

Eu queria entender o por quê de algumas pessoas tentarem ser o que não são.... É tão constrangedor.... Insistem em falar o que não sabem, em escrever o que sabem menos ainda, em argumentar assuntos que nunca dominaram... Que coisa chata...

Algumas ainda tem a petulância de querer que você discurse sobre aquilo que desconhecem, te cobram como se fosse sua obrigação responder o que não tem sentido nenhum pra ti, e acham que tem liberdade para falarem da sua vida como se fizessem parte dela.

Como se livrar de uma pessoa extremamente inconveniente, que insiste, insiste, insiste, e não percebe o quanto é desagradável? Com educação? Com desprezo? Com grosseria? Com nenhuma das anteriores?

Se alguém souber, me avise, porque já não sei mais o que fazer...

7 comentários:

Ana disse...

Ando tão sem paciencia que eu reagiria com grosseria e desprezo. Tolerancia zero...

Albuq disse...

Oi Labelle!

gostaria muito de te ajudar, mas, também passo por situações semelhantes, porém, faço assim, quando chega a um ponto que não tenho mais paciência eu CORTO kkkk
corto a criatura kkk

bjs e sorte viu!
Adoro teus textos, principalmente porque me identifico com eles!

NiNah disse...

Tem que fazer aquela linha phyna de milano e cortar, né?
Bjas

Helô disse...

Xiiiiiiiiii,
Gente sem semancol é demais da conta, né? Acho que o desprezo é a melhor saída!

... disse...

Ola!!
Gostei do blog..
estou linkando no meu...
Espia la... http://cristianagmartins.blogspot.com/

Bjo

tania disse...

Depende se é parente, afim, colega, vizinho... Sempre depende, né? Tem gente que não há como a gente cortar, aí é que é pior. Tem que aturar. O negócio é ser frio e encurtar a conversa. Não dar trela. Mas, bom mesmo seria um raio laser de desenho animado, daqueles que vaporizam a criatura e fazem ela sumir da sua frente e do planeta! É chato demais gente entrona...

Wolf34 disse...

De fato, certas pessoas acabam virando incômodas em alguma situações, e aí nada melhor do que o chá de simancol. É fato também, que determinados casos são perdidos por natureza, e nesse caso nada podemos fazer. Mas existem aqueles no qual uma conversa antes de jogá-lo na foqueira da inquisição de vez, possa surtir um efeito, e quem sabe não salvamos uma alma da perdição. Gosto de lembrar sempre que andamos numa via de mão dupla, onde podemos ser "Tão complicados e ao mesmo tempo, tão perfeitinhos...". No final, para cada caso a medida certa.

Ótimo post, divertido de ler.


Beijão.