sexta-feira, junho 15, 2007

Importante... Quem?

Que as pessoas entram por acaso nas nossas vidas eu sei, mas não é por acaso que permanecem.

Considero ter um defeito que alguns insistem em chamar de qualidade: prezo demais as pessoas que despertam minha simpatia e faço isso incondicionalmente. Por mais rasteiras que eu tenha levado no decorrer desses trinta anos, continuo recebendo as pessoas com o peito aberto e sem defesas. Isso de certa forma, já me trouxe alguns problemas e algumas muitas decepções. Já escrevi isso por aqui, logo no início do blog...

O resultado geralmente, é que a maioria dessas pessoas não retribui o mesmo valor que recebe. Longe de mim querer cobrar isso ou aquilo de alguém. Definitivamente, eu não estou cobrando e nem faço nada buscando retorno, é apenas um desabafo. Se o comportamento dessas pessoas me incomoda? Sem dúvida! Mas esse incômodo jamais foi o suficiente para mudar minhas atitudes. Até porque (dizem) a gente encontra o próprio estilo quando não consegue fazer as coisas de outra forma. Só que eu acredito na reciprocidade! Acredito que duas pessoas precisam estar na mesma sintonia, seja num relacionamento entre um casal de namorados, ou de amigos. Ou os dois gostam da mesma forma, ou aquilo ali termina. Quando um gosta mais do outro do que o contrário, a coisa desanda.

Quando casei e tive a minha pré-crise-dos-trinta, aos 27 anos, passava mais tempo do que o habitual no computador para me distrair de todo aquele turbilhão de coisas que insistiam em martelar na minha cabeça. Acabei descobrindo um mundo que a princípio parece completamente superficial mas que, na verdade, tem tanta importância quanto o que chamamos de real. Apesar da possibilidade que sempre existe de se criar uma personagem, sempre fui a mesma pessoa tanto off quanto online e ao contrário de muita gente, não faço da Internet um universo paralelo. Nunca fiz.

Pessoalmente, sou acessível sim (nem sempre muito simpática) e gosto de manter contato com meus amigos (pelo menos 1x por semana nos encontramos). Desde sempre é assim! E eu acho fundamental.

Não é fácil conquistar minha simpatia, isso é verdade, afinal tenho uma personalidade forte que normalmente incomoda, assusta e talvez até ofenda, mas uma coisa é certa: se algum dia eu te disser que gosto de você, seja pessoalmente - olhando nos seus olhos - ou através de uma frase digitada na janelinha do messenger, acredite. E não brinque com o meu sentimento, porque ele é nobre. Simples assim.

4 comentários:

Sorriso® disse...

Lindona, bom dia!
Te gosto muito viu amiga.
Beijos e bom final de semana =D

Antonio Fontelles disse...

Oi mulher de trinta,
Já faz algum tempo que eu acompanho o seu blog assim, silenciosamente, e você nem sabe... só pra te dar uma idéia, de que talvez haja muito mais entre você e as pessoas ao seu redor, muito mais rostos escondidos, palavras não ditas, atos contidos, do que aquilo que você pensa, acredita, ou vê. Daí a minha dica - e sei que é fácil falar, mas ainda assim: ao invés de se concentrar no comportamento daqueles que te decepcionam, aproveite a ocasião para investir nos tantos outros, que podem estar apenas esperando por uma chance, pra te impressionar. O mundo está cheio de possibilidades.
Antonio

La Belle® disse...

Seja bem vindo, Antonio! Gostei muito do seu comentário!

Eu escrevi esse texto pensando que entre as pessoas, sejam amigos ou afins, poderia haver sim um "feedback" do que é adequado ou não, ou do que é certo para se manter a relação ( ou não) e tal... As pessoas preferem sorrir para você e no momento em que você se afasta, falam o que querem e mais um pouco para um terceiro... Por quê não falar o que pensa para a pessoa em questão?

Críticas nem sempre são bem vindas, mas que ajudam no crescimento e amadurecimento das pessoas, independente do setor, eu tenho certeza...

Exatamente como os 'feedbacks' que um profissional recebe na área em que trabalha e são fundamentais para o crescimento dele e para o da empresa...

Apareça mais vezes, viu?

Isabella disse...

Oi Belle, espero meu marido chegar do trabalho(são 12:27AM!) e leio seu blog de frente pra trás e me identifico tanto com o que vc escreve.

Morei alguns meses no Rio antes de me mudar pros EUA. Tb tinha vista pro Cristo (morava na Oitis) mas não era feliz lá... alías não era feliz há algum tempo. Precisei ficar muito mal pra perceber muitas coisas!

E tirei boas lições disso tudo mas que algumas pessoas me tiram do sério com suas capacidades de serem , no mínimo, estranas, tiram...

Amanhã continuo a leitura qye agora o amridão chegou.

bjs