terça-feira, janeiro 30, 2007

Feitiço do Tempo...

Uma das melhores sensações que eu já experimentei algumas muitas vezes é a de dever cumprido. Expectativas atendidas e superadas. Costas sem peso. Sorriso fácil no rosto. Uma certa dorzinha nas pernas, que insistiram em permanecer ao longo do dia. Cansaço bom que nos lembra que o dia terminou e muito se fez, muito se produziu, muito se disse e muito se escutou.

Vale a pena não tapar os ouvidos para o despertador e levantar na hora. Quem me conhece sabe o quanto isso é difícil para mim... Vale a pena não fazer vista grossa para a cama desarrumada, criar coragem e colocá-la em ordem. Ela é que te receberá na volta, então melhor que te receba bonita, limpinha e esticadinha. Vale a pena tomar café preto com leite, pão com gergelim e uma frutinha para acordar o organismo. Vale a pena descer as escadas e ter destino certo: seja um trabalho, seja um estudo, seja uma praia, seja para levar as crianças ao colégio. Vale a pena ter acordado para alguma coisa.

Quantas coisas as quais apenas chamamos de rotina são importantes e preciosas para termos uma vida saudável e atribulada? É bom ter uma rotina para chamar de sua. É bom ter um emprego para chamar de seu. É bom ter uma função a ser desempenhada, ainda que lá embaixo de toda a hierarquia. É bom ter um papel definido a ser exercido, ainda que dentro de casa. Do contrário, a cabeça vaga. Do contrário, pensamentos desocupados imperam. Do contrário, a insatisfação se instala. E quando você menos percebe você não está mais vivendo, está se arrastando, engordando, vivendo a vida dos outros e esquecendo da sua.

Viver pressupõe estar alerta, ativo, falante, ainda que se fale apenas com o brilho dos olhos ou com o toque da mão. Viver pressupõe estar inserido em um grupo, em qualquer grupo que seja. Que seja família, que seja o trabalho, que sejam amigos, mas que em todos eles você se sinta amado, querido e útil. Viver é como atuar, só que o palco de quem vive a vida real não é o palco dos teatros e casas de shows. É o seu carro, sua mesa de café da manhã, seu almoço com os colegas do escritório, sua consulta ao médico, seu choppinho amigo depois do trabalho, o engarrafamento, o elevador que você toma ao chegar em casa, o beijo que dá no marido, o abraço forte que dá na mulher, o cafuné que você faz no seu filho, no seu cachorro, nas suas plantas.

Rotina não tem a ver com tédio, nem com mesmice. Rotina é vida. Sua vida, todos os dias! Se a rotina será prazerosa, gostosa e se você chegará em casa na maior parte de seus dias satisfeito, de bem com a vida e com a tal sensação de dever cumprido, ah, isso eu não posso escrever aqui. Só você é quem pode dizer se tem se empenhado em fazer esta realidade possível. Por quê não se dar oportunidade de ver o lado bom das coisas? Tudo depende de como vamos receber aquelas informações... As boas, as ruins e as que não importam...

Eu busco viver meus dias intensamente, independente dos problemas que insistem em me atormentar, das picuinhas que os outros criam no trabalho, e de todos os obstáculos que possam aparecer pela frente. Estou numa fase meio romântica, enxergando a vida num tom mais cor de rosa, e descartando o que realmente não me faz bem nem me interessa. Nada como um dia após o outro... Pode parecer clichê, mas é a realidade nua e crua.

Normalmente nos questionamos quando algo não está tomando o rumo que gostaríamos que tomasse, e muitas das vezes não entendemos o por quê de tudo isso estar acontecendo conosco... Sinceramente? Aprendi, a duras penas, e por longos dois anos, que se estamos passando por isso ou aquilo, é porque temos forças para ultrapassar essas barreiras e amadurecer de alguma forma. Sou e estou muito, muito, muito feliz!

O tempo está voando e parece que as coisas vão realmente começar lá no trabalho... Finalmente!!! Tudo bem que emprego público tem outro ritmo se comparar com o privado, mas para me adaptar, demorei um tempinho - Ô povinho para deixar tudo prá ontem... Talvez eu tenha demorado me acostumar com essa lenga lenga o mesmo tempo que demorou para chegar todo o material de trabalho...

Faltam apenas dois meses para acabar o prazo da entrega da documentação para a auditoria e isso está mexendo comigo... Duro ver a falta de comprometimento das pessoas que não tem noção do que é sério e pior, saber que ou trabalho sozinha ou nada ficará pronto até o prazo... Cansa... Dai-me sabedoria!

2 comentários:

Anônimo disse...

Gostei de ler voce. É diferente do que imaginava... te vejo rebuscada, com um tom ácido sempre, mas existe sempre muito carinho.
Espero que voce tenha a oportunidade de me ler. Eu tou aqui ok. Se quer conversar é só dizer como, ok?
Beijo, Adriano.

Julia disse...

Ei La Belle, gostei do seu blog. Escrevo um sobre mulheres de 40, estou quase lá...
Sds,
Julia